Os 4 elementos do Hip Hop – Entrevista com Dj Kokay

Dj, hip hop, us street

Os 4 elementos do Hip Hop é o título de um conjunto de 4 matérias que serão realizadas em incentivo a esta cultura, por Nego Bena, Rapper do Team Us Street.

Somado a performance do Dj, ginga do b boy, criatividade artística do grafiteiro e rimas ousadas dos Mcs, se formam os 4 elementos dessa cultura mundialmente forte e importante para o povo menos favorecido expressar sua arte pelas ruas, paredes e palcos mundo afora.

Dj, hip hop, us streetHoje, 9 de Março, é o Dia Internacional do Dj e vamos justamente começar falando com um dos maestros dos toca-discos da nova geração, Dj Kokay diretamente da Zona Norte dando uma ideia sobre sua vivência como Dj, representando fortemente a nova escola no cenário do Rap Nacional.

A importância do DeeJay para o Hip Hop é imensurável, já que seu papel foi fundamental no início dessa cultura de rua criada no Brooklyn, Nova York no início da década de 70. Influenciados pelas primeiras pick-ups e vitrolas trazidas da Jamaica por Kool Herc ao Bronxs, somado ao talento e disposição do maior precursor do estilo, Afrika Bambaataa, os antigos selectors de festas, bares e boates que antes apenas selecionavam as músicas e usavam microfone para interagir e animar a plateia, começaram a manipular as pick-ups com mais confiança e técnica, criando e expandindo bailes black, sempre exaltando a cultura negra.

Dj Kokay, Hip Hop
Dj Kokay, veste Us Street modelo Runaway Bud

Confira a entrevista:

Como surgiu a ideia de ser Dj? Foi natural e simplesmente aconteceu. Eu acompanhava um amigo que tinha como lazer tocar nas festas dos amigos, o interesse de conhecer a arte dj começou ai, mas sempre fui muito ligado à música, a pesquisa musical e frequentei muitas festas e sempre achei foda a figura do DJ na cabine tocando e fazendo a festa acontecer.

Quais as maiores influências? A grande influência é realmente a música que sinto e gosto de tocar para que os outros na pista também sintam a energia dela e esqueçam de tudo. Música é influencia total, você é o que você ouve rsrsrs. Alguns djs me inspiraram muito também, como Dj Rhettmatic, Dj Jazzy Jeff, Dj Nuts, Dj Kl Jay e vários produtores musicais também como J Dilla, Madlib, Dj Premier entre outros tantos.

Como evoluiu através das dificuldades? Dificuldades realmente ajudam a você evoluir, te deixam mais ligeiro das paradas, você vai pegando as coisas com o tempo. Tanto na parte de conseguir adquirir seus equipamentos, quanto na parte de levar sua carreira, saber vender seu trampo. Depende de você querer evoluir e ter a cabeça aberta para ouvir e ir adquirindo experiência com as situações que passamos. Ser músico não é fácil, mas quanto mais difícil melhor tu fica!

Como avalia o atual momento do Hip Hop no Brasil e no mundo? Sempre crescendo, o gênero musical mais ouvido em todo o mundo. Hoje você cola nas diversas festas que existem no mundo e corre um risco muito grande de ouvir a batida RAP, você vê na Moda geral usando um estilo mais puxado para o Hip Hop, afinal a parada é verdadeira, tem essência e história, tem lutas e vitórias, onde você olha você vê RAP, você vê HIP HOP rolando. Cinema, televisão, rádio, baladas, modas e tantas outras coisas que estamos ganhando mais espaço. Estamos evoluindo aos poucos, mas estamos evoluindo em várias questões e o que já é gigante vai ficar maior ainda!

Conte um pouco dos seus projetos atuais e planos para os próximos passos. Toco a 3 anos, discoteco em baladas, shows, coquetéis, eventos em geral que precisa de um som estou la discotecando e virando as músicas. Na maioria das contratações é para tocar em festas de RAP, mas sou DJ de música, não só de RAP. Estão rolando vários convites para tocar Brasilidades e grooves, recentemente lancei o Volume 2 de uma mixtape com tema ” A Brasa” onde mixo e viro músicas brasileiras, comecei um novo projeto com um baterista e percussionista onde ele toca junto com o meu SET, deixando o batuque e os arranjos mais pesados, ainda mais pra cima com aquele toque do Ao Vivo. Também estou acompanhando alguns rappers e grupos: Dalsin, Sandrão RZO, Valente, Blunt, Mano Réu, Tião e A Cara, além de produzir uma festa no Centro de São Paulo, o Songs for Smoka que esse ano está com gás total!

Gostaria de deixar um recado final sobre o Hip Hop, Dia internacional do Dj e uma mensagem para quem o acompanha? O rap esta em evidência, o Hip Hop esta mais ainda você vê isso na moda no cinema nas rádios , então só temos a ganhar com esse estouro do Hip Hop. Um salve a todos que estão na torcida do bem para que as coisas deem certo sempre, com trabalho, estudo, dedicação e muito amor continuarei trabalhando e tocando com o coração. Você que gosta dessa cultura e dessa arte DJ, não a deixe morrer , brigue e lute para nosso respeito se manter de pé , MUSICA É VIDA!

 

Sente a pedrada musical! Hip Hop é vida!

Produção: Filme Zero

Escrito por: Nego Bena

 

 

 

 

Tagged , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *