Os 4 elementos do Hip Hop – Entrevista com Leal PrimeiraMente

No Hip Hop cada elemento tem a sua função e cada função faz parte de uma engrenagem para o funcionamento do mesmo mecanismo, ou seja, um elemento depende do outro, ou pelo menos era assim no início dessa cultura provinda do Brooklyn na década de 70.

O que uns chamam de evolução e outros de decadência foi a independência de cada elemento e suas próprias conquistas, ao mesmo tempo em que eles começaram a se afastar. Isso quer dizer que cada um dos 4 elementos ganhou mais notoriedade, espaço e respeito, porém um não dependia mais assim tanto do outro para existir, deixando a compactuação e entrosamento de sua origem em segundo plano.

Levando em conta a raiz do Hip Hop posso afirmar com toda certeza de que não existe elemento mais importante do que o outro, pois cada um tem seu papel, mas não há como negar a responsabilidade de um MC, ou Mestre de Cerimônia que é o dono da palavra, o centro das atenções enquanto segura o microfone e passa sua mensagem, o que recebe mais aplausos e também o que recebe mais vaias, se a plateia julgar merecer, resumindo é o porta-voz do Hip Hop.

De Love Bug Starski a Pepeu, de NWA a Racionais, de Tupac a Sabotage, de Kendrick Lamar a PrimeiraMente! Nessa segunda de 4 entrevistas sobre o Hip Hop já está mais do que claro que o tema é o Mestre de Cerimônia, então sem mais delongas fiquem agora com a entrevista realizada com Leal PrimeiraMente mais um monstro da nova geração que mantém vivo o espírito do Rap com letras impactantes e de muito respeito.

Os 4 elementos do Hip Hop – MC

 

Leal PrimeiraMente, MC, Us Street, elementos Hip Hop
PrimeiraMente

Como surgiu o interesse em começar a fazer as próprias rimas?
O meu interesse pelas rimas surgiu ao ver alguns parceiros meus rimarem, mais precisamente o Tom Freestality que me levou em 2012 pela primeira vez na Batalha do Santa Cruz. Na semana seguinte eu já estava tentando batalhar e na minha primeira batalha conheci o Raillow, mas ainda mal sabia que seríamos do mesmo grupo.

O que te influencia musicalmente, sendo rap ou também outros estilos musicais?
Eu curto rap, um pouco de rock, ouço alguns funks consciência que o Raillow me mostra. Mas o que eu tenho escutado ultimamente é mais rap mesmo, Travis Scott, Freddie Gibbs, Flash Bush Zombie, SNJ, Mv Bill, Costa Gold, 3030, Inthefinity-voz, Uzi, entre outros.

Como surgiu o PrimeiraMente? Conte um pouco da caminhada do grupo e quais os próximos planos.
O PrimeiraMente veio das batalhas em 2013, veio da vontade e do sonho de três moleques querendo expor seus pensamentos sobre o que acontece no mundo e nas próprias vidas. Uma mão eu e o Gali nos trombamos na Sexta Free bem antes do horário da batalha para escrever um som e foi rápido para despertarmos a ideia de ter um grupo, pensamos em muitos manos para completar o bang, mas o Raillow por estar ali mais próximo a nós se encaixou perfeitamente. Não demorou muito para sair o EP “Basta Acordar” com 7 faixas, depois de pouco mais de um ano lançamos o cd “A Um Passo do Precipício” com 19 faixas e esse ano tem mais, tem muita coisa nova e diferente para vir, muita fita mais delicada, jeito diferente de abordar as coisas e musicalidade mais trabalhada do que nunca, é isso que eu posso adiantar do que está por vir.

De que forma trata a responsa dos grandes shows pelo Brasil? O que muda disso para a época que cantava apenas nas ruas e nas quebradas?
Eu trato todos os shows como se fossem o último, nunca sei como vai ser o amanhã, seja numa quebrada, numa balada de boy, numa casa da show humilde eu vou cantar do mesmo jeito. Para quem pensa que paramos de cantar na quebrada está muito mal informado, tem show nosso de graça em vários lugares, é só se informar melhor na nossa página e acompanhar as paradas.

Como vê o cenário do Rap atual no Brasil e no mundo?
Eu acredito que o cenário do Rap vem evoluindo musicalmente e também na parte monetária, mas já não encontro tantos grupos ou mcs que tratem com tanta cautela como antes a parte da escrita. Basicamente é isso, os beats mais fodas, as levadas e melodias mais sinistras, dinheiro e ideias ficando um pouco de lado, se bem que acredito que o intuito de vários hoje seja só fama e dinheiro mesmo.

Para finalizar, gostaria de mandar um recado a todos os que acompanham os trabalhos e uma mensagem final sobre a importância do Hip Hop na sociedade?
O Hip Hop para mim é a liberdade de expressão e o rap dentro dele é um dos únicos estilos musicais que adere conscientização e a importância dele vem justamente disso, de ser um instrumento para informação além de música, o hip hop é a cultura de rua em várias partes, os grafites na parede, a movimentação das danças e a informação no meio e tudo isso. Para quem gosta do som, meu pedido é só aguardar que vem muita coisa nova esse ano, diferente para nós e para quem curte o som, só agradece quem compartilha a mensagem.

Leal PrimeiraMente, MC, Us Street, elementos Hip Hop
Leal PrimeiraMente
“Eu vou a caminhar, olhares pela esquina
e o giroflex pra provar que nem toda luz ilumina 
Adrenalina da noite, vários loucos se contamina com a farra que amarra, agarra e vira rotina”
Leal PrimeiraMente
Confira o último clipe lançado pelo PrimeiraMente.

 

Ficha Técnica:
Escrito por: Nego Bena
Entrevistado: Leal PrimeiraMente
Família Us Street
Tagged , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *